Suco de uva, um verdadeiro combustível para esportistas
14/07/2017

Nos últimos dez anos, uma série de pesquisas científicas atestaram os benefícios da bebida
à saúde, inclusive a quem pratica atividades físicas

 

 

Mirian Spuldaro

 

_TAT0697

Que a uva e seus derivados fazem bem para a saúde, nós, apreciadores de vinhos, já sabemos. Inúmeros estudos científicos realizados no mundo todo já comprovaram os diversos benefícios que o resveratrol, e outros compostos presentes na fruta e nos produtos elaborados com ela, trazem àqueles que os consomem. Benefícios esses que vão desde a prevenção de doenças cardiovasculares, a melhora da cognição, da memória, até a redução de danos oxidativos provocados pelos radicais livres, desacelerando, assim, o processo de envelhecimento celular.

Um dos derivados da uva mais apreciados e consumidos no Brasil é o suco de uva. Considerado antioxidante por conter uma grande quantidade de polifenóis, segundo as pesquisas, a bebida ajuda no funcionamento do organismo, além de possuir atividades antimutagênica, anticarcinogênica (proteção contra tumores, por exemplo) e antiaterogênica (prevenindo doenças do coração), entre outras. “A uva transfere a seus derivados uma série de polifenóis, entre eles os flavonóides, como catequina, epicatequina, proantocinidinas e as antocianinas, e os não flavonóides, com destaque para o resveratrol”, explica a biomédica, mestre e doutora em Biotecnologia e pós-doutora pela Georgetown University Medical Center, Caroline Dani.

Por ser uma bebida energética, que auxilia na recuperação do cansaço muscular e na reposição de sais minerais no organismo, o suco de uva 100%, ou seja, a bebida que utiliza na sua elaboração apenas a fruta, sem adição de açúcar ou água, vem ganhando espaço na dieta de atletas e praticantes de exercícios físicos. Nos últimos dez anos, diversas pesquisas realizadas comprovaram os benefícios dessa bebida quando consumida por esportistas.

graos

As pesquisas comprovam 

Uma das pioneiras nos estudos do suco de uva, a professora e coordenadora do programa de pós-graduação em Gerontologia da Universidade Federal de Santa Maria (RS) e pesquisadora do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ), Dra. Ivana Mânica da Cruz, que estuda os efeitos dos frutos e outros alimentos na saúde e na longevidade, destaca que pesquisadores espanhóis e brasileiros realizaram dois grandes trabalhos científicos na Universidade de León, na Espanha, envolvendo o suco de uva 100%.

Um deles, publicado em 2005, mostrou que atletas de ciclismo que consumiram a bebida obtiveram uma diminuição de 29% dos marcadores de estresse oxidativo em relação aos que não foram suplementados com a bebida à base de uva. “Após a retirada de sangue, todos consumiram um copo de suco de uva tinto, cerca de 300ml. Uma hora depois, com base na análise de diversos parâmetros, já era possível perceber a atividade antioxidante do suco no organismo dos indivíduos”, cita Ivana.

O outro estudo do mesmo grupo, de 2013, foi realizado com camundongos e mostrou que o suco de uva protegeu os animais do efeito exaustivo do exercício. “Esse trabalho utilizou 16 animais machos, de três meses de idade, que foram divididos em quatro grupos. Um deles foi submetido a exercícios físicos, o outro fez exercício e consumiu suco de uva, o outro não praticou exercício e consumiu o suco de uva e o quarto não fez exercício e nem consumiu suco. Logo após o exercício, evidenciou-se que os animais que consumiram o suco apresentaram um estresse oxidativo menor do que o do grupo de controle, ou seja, obtiveram melhores resultados do que os que não fizeram nenhum exercício. Isso foi observado em diferentes partes do cérebro e do sangue dos animais, o que demonstra um efeito sistêmico benéfico para o organismo do indivíduo”, pontua a especialista.

Com base nos diagnósticos clínicos, a pesquisadora acredita que, por ser uma bebida muito energética, rica em frutose, o suco de uva 100% é um excelente pré-treino, que proporciona mais energia e ajuda a reverter o estresse oxidativo causado pelo exercício físico. A especialista destaca que se consumida até uma hora depois da atividade física, a bebida também apresenta resultados satisfatórios.

Efeito ergogênico

copo sozinho

No caso de atletas, estudos mostram que o suco age como um ergogênico, ou seja, promove mais energia e recupera melhor as fibras musculares. Um dos trabalhos pioneiros, feito pela na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) com triatletas da Marinha, mostrou que a circulação periférica dos indivíduos que eram expostos a atividades físicas intensas, e que consumiam suco de uva, era melhorada em termos de nutrição muscular. O estudo analisou um grupo de dez atletas masculinos de elite. Por 20 dias eles consumiram 300ml de suco de uva, sendo a metade antes do treino e a outra depois do exercício.

O estudo concluiu que os atletas apresentaram melhora considerável da capacidade antioxidante, circulação sanguínea e tiveram redução do cansaço. “Sabe-se que se tivermos uma nutrição melhor após o exercício físico teremos menos formação de lactato, que é um produto derivado do ácido lático, que se forma quando há redução de oxigênio na musculatura. Então, percebeu-se que indivíduos que consumiam suco de uva tinham menos dor e se recuperavam muito mais rápido do treinamento”, explica Caroline Dani.

Outro trabalho mais recente, de 2015, realizado na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), em João Pessoa, avaliou o potencial ergogênico do suco de uva em alternativa aos suplementos esportivos. Esse projeto faz parte de uma linha de pesquisas que estuda alimentos in natura que podem melhorar o desempenho do atleta. “Sabemos que o treinamento físico gera um estresse oxidativo. Então, sendo a uva um alimento com grande potencial antioxidante, por causa dos polifenóis e do resveratrol, acreditávamos que ela poderia ter um grande efeito ergogênico para esportistas. Com base nisso, realizamos um estudo com corredores recreacionais para atestar essa hipótese”, explica o orientador da pesquisa, o doutor em Ciências da Motricidade Humana e coordenador dos cursos de mestrado e doutorado em Educação Física e em Ciência da Nutrição, da UFPB, Alexandre Sergio Silva.

O trabalho selecionou 28 indivíduos, de ambos os sexos, que foram divididos em dois grupos: um de controle e outro experimental. O grupo experimental ingeriu diariamente 10ml de suco de uva tinto integral para cada quilograma do seu peso corporal, pelo período de 28 dias. O grupo de controle recebeu uma bebida isocalórica, isoglicêmica e isovolumétrica, também por 28 dias. Ambos aliaram a ingesta das bebidas os exercícios físicos regulares. O resultado, conforme aponta o professor, revelou que o grupo que consumiu suco de uva teve um ganho de 15% no tempo de corrida até à exaustão, passando de 89 minutos no início para 102 minutos.

A pesquisa avaliou, ainda, elementos ligados ao estresse oxidativo. Conforme o professor, o grupo experimental teve aumento significativo no total de antioxidantes, vitamina A e ácido úrico. Em contraste, nenhuma alteração significativa ocorreu em qualquer uma dessas variáveis no grupo de controle. “Nesse teste, chamado de ‘Capacidade Antioxidante Total’, percebemos que os atletas que consumiram o suco de uva tiveram uma capacidade antioxidante muito melhorada em relação ao grupo controle. Além da capacidade antioxidante, também percebemos a diminuição da inflamação sistêmica, que é o processo inflamatório subagudo acumulado ao longo dos treinos”, detalha Silva.

Testes futuros

Com base nos estudos existentes com relação ao tema, e com a finalidade de contribuir com o material científico já existente, em breve a doutora em Biotecnologia, Caroline Dani, iniciará dois projetos com atletas profissionais. Um deles será com o time base Bento Vôlei, de Bento Gonçalves (RS). Conforme ela, a ideia é dividir os atletas em dois grupos: um grupo placebo e outro que irá consumir suco de uva tinto 100% por um período de 20 dias. “Nós vamos avaliar esses atletas previamente ao início do projeto e após os 20 dias para avaliar se o suco melhorou o condicionamento deles, se diminuiu as lesões, enfim, qual será o quadro que teremos com relação à utilização do suco em atletas”, explica.

O segundo trabalho será feito com atletas de judô. A sistemática será a mesma, com dois grupos e avaliações pré e pós o período de ingestão do suco (em média 15 dias). “A diferença é que com os atletas do judô faremos uma avaliação específica em um dia de competição. A ideia é fazermos uma avaliação no início do dia e outra no final, para vermos se aqueles que consumiram suco de uva chegarão ao final período de provas menos cansados, com menos perfil inflamatório ou se terão melhor desempenho do que os que consumiram o placebo”.

Quantidade indicada

Já foi comprovado cientificamente que o suco de uva faz bem para a saúde e que pode ser consumido por pessoas a partir dos seis meses de idade. Estudos afirmam que 500ml (em torno de dois copos) é capaz de suprir em 100% a necessidade diária de ferro, manganês, cobre e zinco. Esses minerais também ajudam na produção de células vermelhas, relacionadas diretamente com a prevenção da anemia.

Caroline Dani destaca que a última orientação da Academia Norte Americana de Pediatria diz que adultos e crianças deveriam consumir cinco porções de frutas ao dia. Porém, sabendo da dificuldade em cumprir isso, recomendam o consumo de suco 100% como alternativa para suprir essas cinco porções. “O texto diz, inclusive, que avaliações indicam que crianças que consumiram suco 100% tiveram uma ingesta maior de vitaminas e minerais e não tiveram aumento de peso, pelo contrário, obtiveram diversos benefícios por terem ingerido o suco de fruta”, aponta a especialista.

Marina Salvador é nutricionista, graduada pela Universidade Feevale, Pós-Graduada em Nutrição Clínica Funcional, Nutrição Esportiva Funcional e atualmente Pós-Graduanda em Nutrição Funcional em Fitoterapia

Marina Salvador é nutricionista, graduada pela Universidade Feevale, Pós-Graduada em Nutrição Clínica Funcional, Nutrição Esportiva Funcional e atualmente Pós-Graduanda em Nutrição Funcional em Fitoterapia

Conforme a nutricionista clínica e esportiva, Marina Salvador, a porção diária recomendada de suco de uva pode variar entre 100ml e 500ml ao dia, indiferente da idade e do gênero. A profissional cita como exemplo uma mulher atleta, magra, com histórico familiar de hipertensão. Nesse caso, ela se beneficiará com uma quantidade maior do suco de uva. Em relação às crianças, Marina destaca que essa é uma excelente opção como alternativa de bebida, principalmente, como substituto do refrigerante e sucos de caixinha. “A quantidade indicada deve ser feita de forma criteriosa e individualizada. É importante considerar a prática de exercícios físicos, as atividades realizadas no dia a dia, o consumo de outros alimentos ricos em compostos antioxidantes, a presença de doenças e alterações metabólicas, o nível de estresse, a qualidade do sono, pois esses fatores influenciam na quantidade recomendada do suco de uva”.

Marina ressalta que o suco de uva não causa aumento de gordura corporal, desde que o consumo faça parte da dieta, ou seja, a quantidade de carboidrato que o suco apresenta deve ser contabilizada. “A quantidade de caloria (energia) do suco de uva é, em média, de 170Kcal em 250ml. Ele é rico em carboidrato, principalmente de glicose e frutose, que são açúcares simples encontrados naturalmente nas uvas. O suco de uva não contém quantidade significativa de proteínas e gorduras, mas o mais importante para a saúde é a grande quantidade e variedade de compostos antioxidantes”, explica a nutricionista.

Ela salienta que o suco de uva também pode ser inserido no lanche, mas sugere que a bebida esteja, preferencialmente, acompanhada de alimentos ricos em gordura do bem (nozes, castanhas, coco, abacate) ou fibras (linhaça, semente de chia, semente de gergelim, frutas com casca ou bagaço, biomassa de banana verde), para evitar picos de glicose no sangue e logo em seguida, hipoglicemia. “Recomenda-se consumir o suco de uva de forma isolada em situações específicas, como imediatamente após os exercícios intensos, objetivando repor a energia gasta durante o treino e contribuindo com a recuperação muscular”, ensina.

Confira algumas receitas que Marina indica para seus pacientes e que contêm suco de uva em sua composição.

Panqueca de banana com calda de suco de uva e frutas vermelhas

Ingredientes
2 ovos
2 bananas maduras caturras
2 colheres de sopa de coco
ralado sem açúcar
2 col. de sopa de farelo de aveia
2 col. de cafezinho de canela em pó
1 pitada de cravo moído
150ml de suco de uva integral
3 colheres de sopa de chia
1 xícara de frutas vermelhas (morangos, mirtilo, framboesa, amora)

Modo de preparo
Primeiramente, prepare a calda de suco de uva: misture a chia com o suco de uva e leve para gelar por volta de quatro horas. Prepare as panquecas, liquidificando o ovos, as bananas, o coco ralado, a aveia, a canela e a pitada de cravo moído. Cozinhe em pequenas porções em uma frigideira antiaderente, dos dois lados em fogo baixo. Coloque a panqueca em um prato, regue com três colheres de sopa da calda de suco de uva e finalize com as frutas vermelhas.

Dica
Essa panqueca pode ser consumida após treino de força, de alta intensidade ou até mesmo após treino aeróbio para recuperar os estoques de energia e favorecer a manutenção da massa muscular. Também pode ser consumido no café da manhã e até mesmo no lanche da tarde para garantir o consumo de antioxidantes ao longo do dia.

 

Suco pós-treino para o ganho de massa muscular

Ingredientes
150ml de água de coco
150ml de suco de uva integral
½ polpa de açaí natural
1 colher de sopa de amêndoas
1 dose de suplemento proteico (proteína vegetal de arroz ou proteína vegetal de ervilha ou proteína de leite ou proteína da carne hidrolisada)

Modo de preparo
Bata todos os ingredientes no liquidificador e beba logo em seguida.

Dica
A adição do suplemento proteico ao suco terá ação no reparo da massa muscular após treino de alta intensidade e treino de força, contribuindo para o ganho de massa magra ou definição muscular.

 

Atleta de Crossfit atesta benefícios do suco de uva

_TAT0740_CERTA

Suco de uva pode ser bebido antes e depois do treino

A jornalista, fotógrafa e esportista gaúcha Tatiana Cavagnolli, 37 anos, nunca participou de nenhuma pesquisa científica, mas pode comprovar os benefícios que o suco de uva trazem para seu organismo. Praticante de Crossfit, atividade funcional de alta intensidade, há três anos, ela mantém um ritmo intenso de treinamentos, que chega a cinco dias por semana, em média duas vezes ao dia, em preparação para as competições que participa.
A atleta conta que por indicação da nutricionista que acompanha sua dieta, há dois anos passou a utilizar 300ml de suco de uva tinto integral orgânico no preparo de shakes e batidas energéticas, misturadas a outros elementos, como a beterraba, a couve e o açaí. “O suco de uva auxilia na recuperação muscular, entre outros benefícios, já a beterraba, por exemplo, é um vasodilatador. Então, os dois juntos funcionam como um combustível pra mim, tanto no pré quanto no pós-treino. Porém, também bebo o suco puro, em alternativa a outras bebidas”.

 

atiana Cavagnolli consome  suco de uva integral todos os dias

Tatiana Cavagnolli consome
suco de uva integral todos os dias

Os resultados positivos da ingesta diária de suco de uva são evidentes para a esportista. Ela conta que se não consegue consumir a bebida, sente a diferença. “Fico mais cansada e sinto mais dores. Essa é mais uma prova de que o suco de uva é um aliado dos atletas. Sempre indico para os colegas do box, mas sempre com a ressalva de que a nutricionista é a profissional qualificada para prescrever dietas”, conclui.

 

Serra Gaúcha lidera produção

A produção de suco de uva no Brasil se concentra na Serra Gaúcha, região responsável pela elaboração de 90% dos vinhos e 95% dos sucos de uva no país. Foram colhidos 750 milhões de quilos de uva na safra 2017. Desse total, 55% é destinado à elaboração de suco de uva. Em 2016, foram comercializados 94,1 milhões de litros de suco de uva, sendo que em 2015 esse número foi bem superior, chegando a 117,7 milhões.

Márcia e Edvaldo Gallon

Márcia e Edvaldo Gallon

A Gallon Sucos, situada no distrito de Faria Lemos, em Bento Gonçalves (RS), é uma legítima empresa familiar da Serra Gaúcha, especializada na elaboração de suco de uva. Sua história iniciou em 2007, com uma pequena produção de sucos para comercialização local. Após uma reformulação do parque industrial, em 2016, iniciou a expansão de mercado. Hoje, a produção de sucos chega a 30 mil litros por ano, que é comercializada em lojas especializadas, restaurantes e com o público direto. “Buscamos a elaboração de uma pequena quantidade de suco, porém com uma qualidade diferenciada. Nosso suco possui uma coloração atraente, além de não ser tão doce, com um perfeito equilíbrio entre açúcar e acidez. Com isso, ele pode, perfeitamente, harmonizar com a refeição, substituindo assim o vinho”, destaca o enólogo e proprietário da empresa, Edvaldo Gallon.

Conforme, ele a ideia da família é, em breve, ampliar a produção de uvas e de sucos para buscar novos mercados de distribuição. Aproveitando a matéria prima de qualidade, também está prevista a elaboração de geleias sob a marca Gallon. “O segmento de sucos orgânicos também nos interessa muito. Esse é outro projeto que pretendemos implementar nos próximos anos”, antecipa o produtor.

Os sucos Gallon estão disponíveis em embalagens de 300ml, 500ml, 1L e 1,5L. O preço médio de varejo para a garrafa de um litro gira em torno de R$ 13.

 

Famiglia Zanlorenzi é destaque no Paraná

Grupo Famiglia Zanlorenzi é um dos grandes produtores de suco de uva do Brasil

Grupo Famiglia Zanlorenzi é um dos grandes produtores de suco de uva do Brasil

Umas das vinícolas que mais produz suco de uva no Brasil não está no Rio Grande do Sul. Embora tenha a sua base produtora localizada em São Marcos, na Serra Gaúcha, mantém seu polo industrial no município de Campo Largo, no Paraná. Fundada em 1942, a Famiglia Zanlorenzi é uma das maiores empresas de vinhos e uma das mais importantes indústrias de bebidas do Brasil, além de contar com uma moderna linha de envase, com capacidade de engarrafamento de até 37 mil garrafas/hora.

Atualmente, a produção de suco de uva da empresa gira em torno de sete milhões de litros, o que representa aproximadamente 30% do total produtivo e 40% do faturamento. Por ano, a vinícola recebe entre 25 e 30 milhões de quilos da fruta, de cerca de 1,8 mil famílias, de 16 municípios da região serrana gaúcha.

DSC_4266_CERTA

Mateus Poggere

Conforme o enólogo e gerente industrial da unidade, Mateus Poggere, o maior volume de comercialização do suco de uva atende o mercado interno brasileiro. “Iniciamos esse projeto de elaboração de sucos integrais em 2010. Desde então, a comercialização cresce a taxa de dois dígitos por ano. Temos uma aceitação muito boa. Esse conceito da saudabilidade dos produtos integrais deixou de ser um modismo e virou uma realidade. Então, o que temos percebido é que a demanda é quase maior que a oferta”, observa.

Em busca de vencer uma das maiores barreiras para o aumento do consumo do suco de uva no país: o preço, a empresa pretende investir em uma segunda alternativa de embalagem, utilizando o plástico. “O vidro acaba encarecendo o valor final do produto. Por isso, nosso objetivo é diversificar a embalagem para atender todos os públicos e ganhar competividade”. Atualmente os sucos de uva integral da marca Campo Largo são encontrados em garrafas de 300ml, 500ml, 1L e 1,5L. Em breve, a bebida também será envasadas em bag in box de 200ml, como opção para o público infantil.

O grupo Famiglia Zanlorenzi conta com um portfólio repleto de produtos, com 11 marcas e mais de 110 rótulos, que abrange quatro categorias de mercado: vinhos de mesa, vinhos finos nacionais e importados, espumantes e frisantes e sucos. Hoje, o grupo investe fortemente na categoria de produtos saudáveis, sendo um dos pioneiros na elaboração de sucos com frutas e vegetais e na extensão de linha de sucos integrais.

 

Preste atenção no suco de uva que você consome

À primeira vista, pode parecer que todos os sucos de uva são iguais. Mas vale lembrar que nem tudo que tem uva é suco. Os produtos não apenas são diferentes como alguns que você, talvez, tenha em mente nem são mesmo suco de uva. Diversas bebidas vendidas por aí não cumprem os requisitos básicos para serem chamadas de suco. O tipo integral chega a conter quase dois quilos da fruta por litro. E, anualmente, 47 milhões de litros de suco 100% são fabricados no país. Surpreso? Pois é. Dê uma olhada nas diferenças entre os produtos disponíveis no mercado.
Há outras bebidas que, embora tenham na embalagem uvas, não são feitas da fruta. Algumas apenas têm o aroma, cor e sabor de uva.

É o caso, por exemplo, do leite aromatizado, do alimento à base de soja, das bebidas energéticas e das águas com sabor… Em todos estes casos é fundamental ler o rótulo.

Além disso, não é qualquer tipo de uva que pode ser utilizada na elaboração do suco de uva. Os produtores utilizam as chamadas variedades híbridas ou americanas, entre as quais se destacam a Isabel, a Concord, a Bordô e a Niágara.
Fonte: Ibravin.

 

Bon Vivant_ed175_LEVE-21

 

 

1

 

 

Bon Vivant_ed175_LEVE-18

 

 

Bon Vivant_ed175_LEVE-19

 

 

Bon Vivant_ed175_LEVE-20

 

Veja também:

Uma taça de vinho em plena avenida
O Cerrado também produz vinhos
Indicações Geográficas brasileiras

One Comment

  1. O suco de uva integral vai conquistar o Brasil. O consumo de refrigerante está despencando e a alternativa mais saudável é o suco integral, que é puro, sem adição de açúcar, nem conservantes. Toda esse universo passa pelo site http://www.divinosuco.com.br. Exeprimente

Deixe um comentário