Ponta dos Ganchos
07/03/2017


_MG_7010

 Um paraíso escondido na maravilhosa costa catarinense

 

Texto e fotos

Johnny Mazzilli

Meu trabalho me levou a fazer dezenas de viagens ao exterior, e assim acabei conhecendo pouco das belezas do Brasil. Depois de ter ouvido, por muitos anos, sobre os encantos da costa catarinense, foi com surpresa que conheci um recanto espetacularmente lindo desse pequeno Estado, o exclusivo Relais Chateaux Ponta dos Ganchos, localizado na pitoresca cidade costeira de Governador Celso Ramos. Do aeroporto de Florianópolis ao hotel são 58 km de belos cenários de colinas, pitorescas vilas pesqueiras, pastagens e baías tranquilas. Santa Catarina foi colonizada principalmente por alemães, portugueses e italianos, que lá deixaram uma rica herança cultural e arquitetônica.

_MG_5817No caminho para o hotel, uma parada para visitar um produtor de ostras, onde aprendi um pouco sobre o interessante ciclo de vida do molusco e os cuidados para sua criação. Santa Catarina responde por quase 90% da produção de ostras e mariscos do Brasil, com centenas de criatórios espalhados pela orla marítima do estado. As frias águas costeiras são o habitat perfeito para o crescimento destes moluscos, avidamente consumidos nos estabelecimentos de Florianópolis e vendidos para outras regiões do país.

O Ponta dos Ganchos já recebeu premiações em todo o mundo. Dentre elas, foi eleito um dos 50 mais românticos do mundo pela revista Travel+Leisure. Por duas vezes ganhou o Prêmio Excelência do guia Condé Nast Johansen, e em 2007 foi escolhido pela revista britânica Tatler um dos 101 melhores hotéis do mundo. Cheguei ao hotel em um fim de tarde luminoso e tranquilo. O mar refletia as cores quentes do crepúsculo, reforçando a atmosfera de tranquilidade e acolhimento. A visão da baía defronte o enorme vidro do quarto é de tirar o fôlego. Uma champagne gelada me aguardava e assim permaneci um tempo na varanda, sozinho, aproveitando ao máximo o momento de silêncio e tranquilidade diante daquele visual estupendo. Naquela quietude, vi uma enorme lua cheia nascer.

Tudo no hotel conspira para que o hóspede tenha uma experiência única, inesquecível. Membro do The Leading Hotels of the World, tem apenas 25 habitações, estrategicamente dispostas em meio à belíssima vegetação, o que aumenta a sensação de privacidade. Os quartos, equipados com hidromassagem e decks privativos com piscinas aquecidas, tem uma decoração clean e de muito bom gosto. O staff é impecável e sempre atento às demandas dos hóspedes. Os veículos permanecem no estacionamento e somente pequenos carrinhos elétricos circulam silenciosamente pelas alamedas, levando e trazendo os hóspedes. O café da manhã é mais um dos pontos altos da exclusiva gastronomia do hotel. Um leve e delicioso menu degustação que muda a cada dia, o oposto daqueles bufês opulentos e monótonos. Do terraço do café da manhã avista-se a pitoresca praia de Ganchos de Fora, com sua vila pesqueira e a baía pontilhada de barquinhos coloridos.

_MG_5916O dia foi dedicado a conhecer os arredores. Caminhando em trilhas pelas encostas e a beira mar, chegamos à deserta Praia de Fora, com suas fortes ondas. Não havia lá uma alma viva. Pelo caminho, encontramos um grupo de pescadores limpando e cozinhando mariscos em grandes latas. Limpos e cozidos, são fornecidos aos restaurantes da região. Na volta ao hotel, uma parada para um estratégico piquenique na praia, de onde partimos num pequeno barco para visitar os criatórios de moluscos fundeados a uma centena de metros de distância dos costões e da praia. Centenas de aves marinhas vivem ao redor das boias e levantam voo com a aproximação do barco, para pousarem logo adiante. Do mar, a visão do hotel é ainda mais intrigante.

As encostas da pequena e recortada península são recobertas por uma densa vegetação nativa, sendo assim pouco visível desde o mar. Após a visita às boias de criação de ostras e um rápido desembarque na cidade, regressamos por mar ao hotel e desembarcamos em sua charmosa e diminuta praia particular, a praia da Ilhota, perfeita para relaxar nas espreguiçadeiras e tomar um vinho. Ou dois, ou mais. Pausa para um drinque e uma breve caminhada pelo entorno do hotel para fotografias. Um almoço tardio ao ar livre, marcado pela opulência de deliciosos frutos do mar e pescados grelhados, preparados pelo simpático chef executivo José Nero, fechou a tarde com chave de ouro. As ostras, fresquíssimas, estão sempre presentes nas refeições. Naturais, ao bafo ou gratinadas, elas são preparadas com maestria por José Nero.

E assim foi meu último dia nesse lugar magnífico. E no embalo de algumas taças de vinho, assisti a mais um entardecer magnífico e de cores exuberantes, já pensando no dia em que voltarei aquele paraíso. www.pontadosganchos.com.br

Confira mais imagens desse paraíso:

_MG_7010 _MG_7042 _MG_7298 _MG_7444 IMG_2397 IMG_2657

_MG_7026

Veja também:

Sem véu, em Marrakesh
O frio te espera
Vale do Rio Rhône

Deixe um comentário