Vale do Rio Rhône
11/04/2016

Vinhedo de La Chapelle em Hermitage

Quando falamos em vinhos franceses, Champagne e Bordeaux são os nomes mais citados pelos estrangeiros. No entanto, o Vale do Rio Rhône, segundo maior produtor de vinhos AOC (com denominação de origem) do país, elabora vinhos de excelência, em todos os estilos, apesar de não ter fama tão difundida.

A produção anual chega a 250 milhões de litros: 79% tintos, 15% rosé e 6% brancos, provenientes de 27 Appellations d´Origine Controllée. Entre as variedades cultivadas, as estrelas são as tintas Syrah e Grenache. Destaque também para as castas Carignan, Mourvèdre, Viognier, Marsanne, Roussanne, Grenache Blanc e Clairette.

O Rio Rhône nasce na Suíça, a 2.209 metros de altitude. Atravessa 21 departamentos, em 522 quilômetros de extensão por território francês, até desaguar no Mediterrâneo. Seu leito é favorável à navegação, o que permitiu o desenvolvimento do transporte de mercadorias e exércitos desde a Era Romana.

O Vale do Rio Rhône está no páreo da agricultura biológica e biodinâmica, que podemos definir, de maneira comum, como o cultivo sem o uso de agrotóxicos entre outras coisas. Atualmente, 50% dos vinhedos estão em processo de reconversão e 10% da área plantada já é certificada. As condições climáticas são extremamente favoráveis, com verões quentes e secos. O solo varia de granítico, com aflorações de xisto e ardósia, para argilo-calcário, com seixos ou pedras redondas chamadas de ‘galets’ mais para a parte Sul.

Qual a grande vantagem dos vinhos desta parte da França? Excelentes preços pela qualidade, se comparados aos das regiões Champagne e Bordeaux, sem considerar a Borgonha. Os vinhos são generosos e intrigantes, produzidos com a menor utilização possível de produtos não orgânicos. De Paris, você pode chegar à região de várias maneiras, sendo a melhor delas o TGV (trem de alta velocidade) que chega à cidade de Avignon em três horas.

Enoturismo

Alguns dos locais mais bonitos para se visitar são os vinhedos da parte Norte, onde se localizam os Crus de Hermitage e Croze-Hermitage (os únicos na margem esquerda do rio). Nesta colina, o visitante pode ver os famosos vinhedos de La Chapelle e Chevalier de Sterimberg, preciosidades disputadas no mercado internacional e também na França. Os vinhos nestas duas AOCS são feitos com Syrah, podendo ter a adição das uvas brancas Marsanne e Roussanne.

 

Por: Luiz André Batistello

Veja também:

No Coração da Inglaterra
Roteiro gastronômico na Provence, França
Restaurante La Caceria anuncia Prato da Boa Lembrança 2016

One Comment

  1. Ciro Fernando Cvilikas disse:

    Grande Luiz! Belo artigo! Grande abraço!

Deixe um comentário